Métodos de classificação supervisionada: aplicação ao síndrome de Williams